FUNDAÇÃO HEMOMINAS COMPLETOU 27 ANOS DEDICADOS À SAÚDE PÚBLICA

14/01/2012 19:15

 

Fundação Hemominas faz aniversário em 10 de janeiro.
27 anos dedicados à saúde pública
 
A Instituição é responsável pela hemoterapia e hematologia no Estado de Minas Gerais. Possui 20 unidades de coletas de sangue no Estado e 2 postos avançados de coletas externas (Muriaé e Lavras). A Fundação atendeu de janeiro a dezembro de 2011, 340.196 candidatos à doação de sangue no Estado. Em seus 16 ambulatórios, a Fundação atendeu mais de 6.000 pacientes portadores de coagulopatias e hemoglobinopatias. A Hemominas é a maior rede de unidades hemoterápicas do país.
 
 A Hemominas tem como missão “Atuar na área de hematologia, hemoterapia, células e tecidos com excelência e responsabilidade social”. A visão da Instituição é “Ser reconhecida como organização de excelência mundial em serviços de saúde”.
 
Neste ano, a Fundação se volta para os seus valores institucionais – comprometimento com a melhoria contínua, conduta orientada pela ética, responsabilidade social, respeito e valorização do ser humano.Com esta orientação a Fundação desenha suas ações. Podemos citar como destaque na melhoria contínua a implantação do Nat - teste para detecção de Ácido Nucleico do HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) e HCV (Vírus da hepatite C), que objetiva diminuir o risco transfusional causado por esses vírus - e o aumento no número de pesquisas realizadas no âmbito da Fundação.
 
A Fundação Hemominas, em parceria com o Ministério da Saúde e o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz/Bio-Manguinhos, implantou no final de 2011, em toda a rede Hemominas o Teste de Ácido Nucleico (NAT) na triagem dos doadores de sangue de todas as suas unidades.
 
O NAT é um teste para detecção de Ácido Nucleico do HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) e HCV (Vírus da hepatite C), que objetiva diminuir o risco transfusional causado por esses vírus. Com a implantação do NAT, a janela imunológica - que é o período em que o vírus permanece indetectável no organismo, entre a infecção e sua detecção por um teste - será reduzida de 22 para 10 dias, no caso do HIV, e de 35 para 14 dias, no caso do HCV. O NAT investiga a presença do material genético do vírus e não a de anticorpos contra o vírus. 
 
O s equipamentos e o material para a análise das amostras foram fornecidos pela Fiocruz/Bio-Manguinhos e estão no laboratório NAT localizado no Hemocentro de Belo Horizonte onde está centralizada a triagem molecular de toda a Rede Hemominas. O processo foi iniciado em maio, com a instalação e validação dos equipamentos. Em junho, foi realizado pela Fiocruz/Bio-Manguinhos o treinamento da equipe que está trabalhando no laboratório NAT. A partir de julho foi iniciada, de forma escalonada nas 20 unidades de coleta da Rede Hemominas, a triagem NAT dos doadores.
A meta do Ministério da Saúde é levar o teste NAT, que já é aplicado nos Estados Unidos, países da Europa, Austrália e Japão, para todos os hemocentros públicos do país objetivando aumentar a segurança nas transfusões.
 
O Ano de 2011 foi um ano positivo para o Serviço de Pesquisa da Fundação Hemominas. O balanço do setor registra aumentos significativos, de 20% na produção de artigos científicos e de 110% na elaboração de resumos para eventos científicos, em relação ao ano anterior. Estão em andamento 75 projetos de pesquisa, desenvolvidos inteiramente ou em colaboração com a equipe da Fundação, principalmente nas áreas de hemoglobinopatias, coagulopatias e doenças transmissíveis pelo sangue. Houve um aumento considerável de participação de profissionais da Fundação Hemominas em seminários e encontros técnicos nacionais e internacionais.
 
As parcerias constituídas também foram fomentadas. E neste ano a Fundação Hemominas irá aumentar a parceria com o Centro de Pesquisa René Rachou - Fiocruz. Está programada a realização de um workshop no primeiro semestre para promover a interação entre pesquisadores das duas instituições. A parceria é importante para focar melhor em desenvolver e implementar novos produtos e serviços, para melhorar a qualidade dos serviços oferecidos, com destaque a participação do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) Inovhemos da Fundação.
 
Além disso, a Fundação tem participado ativamente de cooperações técnicas internacionais. Neste mês, duas profissionais da Fundação Hemominas participam em Benin da Primeira Oficina de Captação de Doadores de Sangue do país. O Projeto Piloto em Doença Falciforme é realizado em parceria com o Ministério da Saúde e ABC – Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores. A Hemominas foi convidada a participar da oficina na capacitação dos profissionais de Benin, país ocidental da África. Benin tem uma população de 8,5 milhões de pessoas, 1% da população possui a Doença Falciforme. Um dos principais procedimentos que o paciente portador da doença falciforme utiliza é a transfusão sanguínea.
 
A captação de doadores de sangue tem papel fundamental na segurança sanguínea. A fidelização e ações de conscientização da população sobre a importância de uma doação segura, tanto para o doador como para quem vai receber o sangue, começa na captação.
 
Com a participação da Hemominas neste acordo de Cooperação Técnica a Instituição se consolidada como referência na hemoterapia nacional e internacional, colocando a serviço da população mineira e mundial sua experiência de 27 anos de trabalho voltado para a saúde pública.