Alterações genéticas fornecem novos tratamentos contra leucemia infantil

17/01/2012 12:05

 

Alterações genéticas fornecem novos tratamentos contra leucemia infantil

 

Um estudo publicado na revista Nature Medicine por investigadores da Universidade de Nova Iorque, nos EUA, mostra como o gene Notch, causador do cancro, trabalha em conjunto com um complexo de proteínas para criar leucemia linfoblástica aguda de células T (T -ALL), avança o portal ISaúde.

Alterações genéticas recentemente identificadas fornecem novas estratégias de tratamento potencial para a leucemia infantil.

T-ALL é um cancro do sangue agressivo, predominantemente diagnosticado em crianças, que ocorre quando glóbulos brancos imaturos (linfoblastos) se tornam malignos, multiplicando-se de forma incontrolável e se espalhando rapidamente por todo o corpo. Se não tratada, a doença pode ser fatal em poucas semanas. 

Mutações em Notch que causam T-ALL estão bem estabelecidas, mas o mecanismo molecular detalhado desta transformação de células em cancro induzida pelo gene era desconhecido até agora.

"O nosso estudo apresenta uma nova visão sobre como Notch age de um modo antagónico à proteína PRC2 para promover T-ALL. Além disso, comprova ainda mais o papel supressor de tumor do complexo de proteínas nesta doença", afirma o autor sénior, Iannis Aifantis.

A pesquisa revela uma nova interacção dinâmica entre Notch e a função de PRC2. Os resultados mostram uma perda clara da função de PRC2 nos locais de ligação Notch1. Além disso, os investigadores descobriram mutações genéticas recorrentes e exclusões de componentes do PRC2 em amostras de pacientes com T-ALL. No estudo, a perda da função de PRC2 alimenta a mutação Notch. Isso fornece evidências para um papel central de desregulamentação do complexo de proteínas PRC2 na leucemia induzida por Notch.

"A inactivação do PRC2 devido à Notch em T-ALL constitui um evento patogénico importante na formação desta doença potencialmente mortal. A alteração genética de PRC2 amplifica os sinais de comunicação dos oncogenes Notch levando a T-ALL" , explica o principal autor da pesquisa, Panagiotis Ntziachristos.

Segundo os investigadores, as experiências revelaram um interruptor epigenético específico durante a progressão da doença que pode ser mais bem explorado para o desenvolvimento de novas terapias contra a leucemia.

O estudo mostra T-ALL como uma doença epigenética, regulada por um equilíbrio subtil entre oncogenes e supressores de tumor. Oncogenes como Notch podem se infiltrar na função normal do complexo de proteínas PRC2 em locais de genes específicos que conduzem a transformação das células cancerígenas. Mutações em PRC2 auxiliam oncogenes como Notch, alterando a sua expressão génica do ADN.

"Os nossos estudos abrem novas portas para o tratamento da T-ALL. A detecção de novas alterações genéticas em T-ALL fornece uma nova plataforma para a selecção de estratégias de tratamento potencial para a doença. Medicamentos que podem direccionar demetilases histona, enzimas que catalisam a modificação de H3K27me3, poderiam ser usados sozinhos ou em combinação com inibidores Notch1 para o tratamento da doença", observa Aifantis.

 

2012-01-16 | 11:33